Archive

Archive for the ‘família’ Category

hakuna ou hatuna?

Como nerd convicto, sempre tento dividir meus gostos com outras pessoas. Mau de nerd. Nerd que é nerd adora incomodar a todos com o que acha bom.

Filho de nerd é quem sofre mais. O pai interfere na escolha de brinquedos, livros, roupas, etc… “Quer uma dessas bolas? Leva essa aqui, ó, do Quarteto Fantástico!”, “Bexiga? Backyardigans é chato, olha essa do Homem-Aranha!”.

Bat-D

Bat-D

Com cinema é a mesma coisa. Quando a Srta. B era pequena, gostava muito de Castelo Ratimbum. Com dois aninhos, fomos ao cinema. Ficou quietinha, pra variar não deu trabalho. Do tempo de VHS, era viciada em Balto e Rei Leão. A fita do Rei Leão estragou de tanto ser vista. Arrebentou dentro do videocassete. Nessa época ganhou um Timão Pumba, o javali do filme.

Veio a Pixar, com seus filmes, e comecei o treinamento nerdização da Srta. B: filme novo? Pré-estreia + brinquedo + pré-venda de DVD = coleção em dia.

A Srta. B sempre gostou de ler e de ver filmes. De todo tipo. Hoje a adolescência privilegia comédias românticas e filmes de terror, mas compartilhamos bons filmes.

Agora com 2 aninhos, Sr. D entra na fase de loop infinito de filme preferido. Fica enfeitiçado por Toy Story. Pode ser o 2 ou o 3, o primeiro não serve. Se não tem o Bala no Alvo, não é bom. Tem que ter cavalo, Sr. D adora cavalos. Assistindo Spirit, ele quase entrou em êxtase.

Hoje o Timão Pumba da Srta. B está passando por maus bocados com o Sr. D. Ele cismou que o javali na verdade é um cavalo, e cavalga o bichinho pela casa toda. Se não está cavalgando, está sendo arrastado pela presa.

Pumba-pocotó, agora banguela, para tristeza da Srta. B

Pumba-pocotó, agora banguela, para tristeza da Srta. B

Em agosto, para delírio de toda a família, fomos convidados para assistir Rei Leão 3D. Aproveitamos minhas férias, e pegamos a sessão fechada às 10h da manhã.

Sr. D quietinho o filme todo, fora do seu padrão de comportamento. Quem não ficou, ou melhor, ficaram fora do padrão, foram a Sra. Paiéquemcria e Srta. D.

A nostalgia tomou conta das duas, que reproduziram todos os diálogos e canções do filme. Ainda bem que no fundo do cinema estava tranquilo, com as últimas fileiras vazias.

O filme parece ter sido feito para a experiência 3D. Abertura, musicais, cenas de ação, tudo contribuiu para que o filme ficasse ainda mais bacana. Não percebi nenhuma alteração no filme. Nada foi editado, a dublagem mantida. Recomendo o programa!

Sr. D e o Tocotocotá

Sr. D e o Tocotocotá: Pose pra foto

Só uma coisa que eu nunca entendi no filme: é Hatuna ou Hakuna Matata?

"Who cares, pai!? Fui!"

"Who cares, pai!? Fui!"

14 anos atrás…

Após uma longa espanada no pó desse blog, estamos voltando com uma novidade: um post da Sra. Paiéquemcria.

Precisei insistir muito para conseguir liberação para publicar essa mensagem, enviada originalmente para algumas amigas, na íntegra.

——–

Olá amigas…

“… amigos de sala de aula, conversa vai, conversa vem… namoro de 3 anos!

… menstruação atrasada, gravidez… resultado: Beatriz!! linda…

casamento, convivência, conhecimento, alegrias (muitas), tristezas (muitas), e a pequena Beatriz sempre do nosso lado.

Amadurecimento, discussões, trabalho, mais alegrias, mais tristezas, e a nossa pequena Beatriz acompanhando tudo quietinha, crescendo diante dos nossos olhos, sempre no seu mundo de fantasias…

5 anos, 7 anos, 10 anos, muita coisa aconteceu em nossas vidas…. o mundo não pára! (que bom!!)…

11 anos, 12 anos, 13 anos……….. 14 anos… ontem foi o primeiro Dia dos Namorados da minha filha!!!!!!! O fulano, digo, Danilo (muita coragem da parte dele) apareceu na minha casa procurando a “namorada” dele, com um embrulho nas mãos.Um presente…

Sempre ouvi essas coisas desde que me conheço por gente: um dia vc terá filhos e vai saber o que tô dizendo… vc é muito nova pra namorar…. tem que pensar em estudar…. cuidado com isso… cuidado com aquilo…

Ontem a noite me peguei chorando, pois é, chorando… e lembrando tudo o que sempre ouvi da minha mãe. Agora uso as mesmas palavras que sempre ouvi, não só da minha mãe como de tantas e tantas mães que existem (e que ainda serão) com a minha filha.

Mais… e aquela pequena criança que vi crescer (hehehe…..), deitando no meu colo, sempre me abraçando, meiga, carinhosa com todos, atenciosa…. agora com namorado???

Pôxa, será que o tempo passou e nem dei conta? É …. parece que sim… meu bebê cresceu….

Sei também o que sempre ouvi: Márcia, criamos os nossos filhos pro mundo…. péra lá, pro Mundo não, ela é minha!!!……………. tá bom, tá bom, doce ilusão… é pro Mundo mesmo!!!

O que me resta de agora em diante é pedir: Mundo, por favor, toma conta da minha pequena!! E do Danilo também….”

É isso… queria dividir mais um momento da minha vida com vcs!!

Bjs!!!

família expandida: fone bone rompe-ferro

O post a seguir deveria ter sido publicado em agosto de 2010. Por qualquer motivo, ficou engavetado.

Ontem, foi aniversário de nosso cão em nossas vidas, e prefiro publicá-lo na integra, sem revisão, só por que ele merece.

Ah, o stress passou, e os pelos estão onde deveriam.

——–

Ultimamente o corredor de casa, a garagem e o quintal parecem aqueles cenários de bang-bang, com uns tufos rolando como aquela vegetação dos filmes. Só que aqui, são pelos.

Bone, nosso cachorro, está estressado. Já está tomando vitaminas, mas ainda não parou sua queda de pêlos.

Nosso excesso de cuidados com a higiene do bebê e o instinto materno ligado no 220v contribuem para isso.

Bone está conosco a menos de um ano, e segundo a veterinária, fez seu 1º aninho na virada do ano. Não sabemos nada sobre seus pais biológicos, achamos o coitado/danado no meio de um sítio, no Pico do Jaraguá. Sra. Paiéquemcria se apaixonou a primeira vista por aquele saco de ossos. Subnutrido, foi o presente de aniversário da Srta. B, em março de 2009.

saco de ossos

saco de ossos

Veio a nós em um momento importante, no início da gravidez do Sr. D.

Nossa família tinha acabado de passar pela dolorosa experiência do aborto de 2008, e aos 3 meses de gestação, a Sra. Paiéquemcria era uma pilha de ansiedade. Dá pra entender, também sentia isso. Qualquer punzinho encravado corríamos ao ginecologista.

O Bone, com a graça que é peculiar aos filhotes (fala sério, quem não gosta?), entreteu a Sra. Paiéquemcria. Ela, em troca, o mimou com brinquedinhos, roupas velhas, petiscos e muita ração (ênfase nos petiscos e muita ração). No trabalho, eu recebia boletins tele-sena (resultados de hora em hora) sobre a última proeza do nosso amigo canino.

A veterinária nos disse: “ele será sempre grato pelo que vocês estão fazendo por ele”.  Nós também somos gratos a ele, por ter nos “controlado” até o final da gestação do Sr. D.

Se em março era puro osso, hoje é um adolescente cheio de hormônios e desajeitado.

Fone Bone Rompe-ferro

Fone Bone Rompe-ferro

se eu pudesse entrar na sua vida

Já fui legal, esperto, inteligente, engraçado. Já fui herói. Várias vezes.

Fui conforto, carinho, amor.

Fui ausente, errado, bravo, rude, injusto.

Fui autoritário, imperativo, paternal, fraternal.

Fui orgulhoso, fiquei orgulhoso.

Algumas coisas mais, outras coisas, menos. Muitas ao mesmo tempo. E não necessariamente nessa ordem.

Agora, cada vez mais, sou espectador. A gente faz filho para o mundo, não pra gente.

Cada dia que passa, a canção faz mais sentido pra mim.

mais sobre blogueiros na revista crescer

Voltando no assunto do café na redação da Revista Crescer, obrigado ao pessoal da editora da revista pela oportunidade de fazer parte de um evento tão legal.

Espero que vire matéria, adorei a discussão!

Vai lá no site, tem foto, vídeo e os links dos blogs bacanas que fizeram parte do evento.

——-
Sr. Paiéquemcria estava nervoso e inadequado no vídeo. Suou bicas.

só para registro

Acordei essa madrugada às 2h30, com o telefone tocando. “Pai, tô chegando.”

Dormi no sofá (aguentei firmemente até 1h), esperando minha filha voltar do show do Black Eyed Peas, por que ela estava sem as chaves de casa.

É o começo do fim.

recomendações – missão virtual

Não posso deixar de registrar: o Missão Virtual, blog que sou fã incondicional (e irmão mais “novo” do dono…) fez 7 anos em fevereiro. Não dei parabéns quando devia, mas agora que o Henrique lança seu primeiro ebook, o “Correndo atrás do vento”, não posso mais ficar quieto. Parabéns, Rique. Que esse seja mais um passo na sua jornada como escritor.

Além de abordar temas cristãos com muita beleza e particularidade, divide sua experiência como pai. Conheço vários relatos de lágrimas arrancadas após a leitura das suas palavras. O cara é bom, recomendo a leitura imediata!!

E também é dele e da minha cunhada o blog Frases de Crianças, cheio de pérolas da minha sobrinha e pimpolhos alheios, que agora é blog-parceiro do Bebê.com.br, da editora Abril. Outro parabéns a eles!

Vou listar minhas postagens favoritas do Missão Virtual, visitem! E façam o download gratuito do ebook “Correndo atrás do vento”.

——-

Sr. Paiéquemcria confessa: o Missão Virtual foi uma das inspirações para a criação do Pai é quem cria!!