Archive

Posts Tagged ‘filho’

hakuna ou hatuna?

Como nerd convicto, sempre tento dividir meus gostos com outras pessoas. Mau de nerd. Nerd que é nerd adora incomodar a todos com o que acha bom.

Filho de nerd é quem sofre mais. O pai interfere na escolha de brinquedos, livros, roupas, etc… “Quer uma dessas bolas? Leva essa aqui, ó, do Quarteto Fantástico!”, “Bexiga? Backyardigans é chato, olha essa do Homem-Aranha!”.

Bat-D

Bat-D

Com cinema é a mesma coisa. Quando a Srta. B era pequena, gostava muito de Castelo Ratimbum. Com dois aninhos, fomos ao cinema. Ficou quietinha, pra variar não deu trabalho. Do tempo de VHS, era viciada em Balto e Rei Leão. A fita do Rei Leão estragou de tanto ser vista. Arrebentou dentro do videocassete. Nessa época ganhou um Timão Pumba, o javali do filme.

Veio a Pixar, com seus filmes, e comecei o treinamento nerdização da Srta. B: filme novo? Pré-estreia + brinquedo + pré-venda de DVD = coleção em dia.

A Srta. B sempre gostou de ler e de ver filmes. De todo tipo. Hoje a adolescência privilegia comédias românticas e filmes de terror, mas compartilhamos bons filmes.

Agora com 2 aninhos, Sr. D entra na fase de loop infinito de filme preferido. Fica enfeitiçado por Toy Story. Pode ser o 2 ou o 3, o primeiro não serve. Se não tem o Bala no Alvo, não é bom. Tem que ter cavalo, Sr. D adora cavalos. Assistindo Spirit, ele quase entrou em êxtase.

Hoje o Timão Pumba da Srta. B está passando por maus bocados com o Sr. D. Ele cismou que o javali na verdade é um cavalo, e cavalga o bichinho pela casa toda. Se não está cavalgando, está sendo arrastado pela presa.

Pumba-pocotó, agora banguela, para tristeza da Srta. B

Pumba-pocotó, agora banguela, para tristeza da Srta. B

Em agosto, para delírio de toda a família, fomos convidados para assistir Rei Leão 3D. Aproveitamos minhas férias, e pegamos a sessão fechada às 10h da manhã.

Sr. D quietinho o filme todo, fora do seu padrão de comportamento. Quem não ficou, ou melhor, ficaram fora do padrão, foram a Sra. Paiéquemcria e Srta. D.

A nostalgia tomou conta das duas, que reproduziram todos os diálogos e canções do filme. Ainda bem que no fundo do cinema estava tranquilo, com as últimas fileiras vazias.

O filme parece ter sido feito para a experiência 3D. Abertura, musicais, cenas de ação, tudo contribuiu para que o filme ficasse ainda mais bacana. Não percebi nenhuma alteração no filme. Nada foi editado, a dublagem mantida. Recomendo o programa!

Sr. D e o Tocotocotá

Sr. D e o Tocotocotá: Pose pra foto

Só uma coisa que eu nunca entendi no filme: é Hatuna ou Hakuna Matata?

"Who cares, pai!? Fui!"

"Who cares, pai!? Fui!"

alter egos, síndrome do não-postar e cristais kriptonianos

Meus alter egos (se é que existe plural disso) estão acabando comigo.

Funcionário, chefe, escotista, pai, marido, filho, e afê, blogueiro. Maldita vida adulta. Odeio assumir compromissos e não fazer com qualidade.

Faz dois meses que não apareço por aqui, desde os aniversários da Sra. Paiéquemcria e do Sr. D.

Nesse meio tempo, fui convidado pela Revista Crescer para um café, lá na redação. Evento bacana, conheci outros pais corujas que dispunham seu tempo (?!) para falar das crias.

Lá conversamos sobre vários assuntos, inclusive da culpa que se sente de não-postar. É quase uma síndrome, ficamos com a pesarosa sensação de compromisso não cumprido.

Compromisso com quem, cara-pálida? Só se for comigo mesmo. Sei que tem gente que se dá ao trabalho de vir até aqui, e alguns até gostam (!), mas não posso esquecer o real motivo desses registros.

Esse blog é meu [nerd mode on] cristal kriptoniano [nerd mode off] para os meus filhos. Um dia espero que eles possam olhar para trás, ler esses registros e entendam as atitudes de seus pais. Que eles possam encontrar alívio, orientação, entendimento, amor, carinho e qualquer outra coisa que seja possível absorver em poucas e tortas linhas escritas por um pai babão.

——-
Sr. Paiéquemcria prefere manter um blog do que fazer registros em vídeo e gravar em cristais que podem destruir o mundo. Ou uma boa parte dele. Mas mudaria de idéia se seus filhos tivessem super-poderes.

uma breve história do tempo

1996: Após pouco mais de 2 anos de namoro, gravidez no final da adolescência. Ela no colegial, eu na faculdade.

1997: Casamento grávidos, ela com 21, eu com 19, emancipado pelos pais.

1997: Nasce Srta. B, primeiro neto das duas famílias. Morando de favor, um quarto para três.

2005 – 2007: Mudança pro apê, terapia, reboot no casamento.

2008: Segunda gravidez, aborto. Mudança de casa, nova etapa.

2009: Nasce Sr. D, o segundo primeiro filho.

2010: 13 anos juntos, gatona, e eu faria tudo isso de novo. Na boa.

Te amo, Sra. Paiéquemcria.

Como diz a canção, your love is king.

conversa séria, de mãe para filho

Essa semana Sra. Paiéquemcria e Sr. D tiveram uma conversa séria.

O tom da conversa foi sério, Sr. D foi levantando a voz, e pra variar, sempre curto e grosso.

As imagens não mostram o final da discussão. Tive que desligar a câmera, a coisa ficou feia.

O Sr. D e a Sra. Paiéquemcria se pegaram numa série de abraços e beijos, cenas fortes de apertões de bochechas e fungadas no cangote.

Tadinho do Sr. D, atacado pela mamãe Felícia.
——-

A mamãe Felícia vai pegar e abraçar e agarrar e beijar e cheirar…

o mundo é bão, sebastião

Por que o Sol saiu
Por que seu dente caiu
Por que essa flor se abriu
Por que iremos viajar no verão
Por que aqui o mundo não será cão

Quando o Goodzila atacar
Quando essa febre baixar
Quando o mamute voltar
Descongelado a caminhar na Sibéria
Quando invento, o mundo é feito de idéias

O mundo é bão, Sebastião
O mundo é bão, Sebastião
O mundo é bão, Sebastião
O mundo é teu, Sebastião

Como escrever certo o seu nome
Como comer se der fome
Como sonhar pra quem dorme
E deixa o cansaço acalmar lá em casa
Como soltar o mundo inteiro com asas
Tiranossauro Rex tião
Dentro dos seus olhos virão
Monstros imaginários ou não

Por sorte somos todos os infernais

E agora eu vivo em paz

O mundo é bão, Sebastião
O mundo é bão, Sebastião
O mundo é bão, Sebastião
O mundo é teu, Sebastião

O mundo é bão, o mundo é bão
O mundo é bão, o mundo é bão

Nando Reis
Composição: Nando Reis
Disco: MTV Ao Vivo – Nando Reis e Os Infernais
Ano: 2004

Categorias:música Tags:, ,

semana nacional da leitura

Hoje abri minha gaveta do trabalho e encontrei um exemplar empoeirado de “Minutos de sabedoria”, de C. Torres Pastorino, da Edições Paulinas. Ganhei de presente anos atrás, e fica sempre no fundo da 2ª gaveta. Resolvi abrir em uma página e tomei uma bronca: “Leia mais! Aproveite mais seu tempo!”.

Juro que gostaria de obedecer, mas não estou conseguindo. O tempo que tenho livre, durmo.

O Sr. D, agora com 50 dias de vida, tem vencido gradualmente a batalha diária contra as cólicas. Mas em compensação resolveu que dormir não é legal, e que ficar com olhos abertos é beeeem mais divertido. Um papai amigo meu, o ZZ, sofre do mesmo mal com a linda Lis. Uso das mesmas estratégias que ele e sua esposa, mas tem coisa que não dá mais certo. O tal do “xiii-xii-xiiii” na orelhinha dele, não rola. Músiquinha ainda dá, mas nem sempre.

Voltando a falar de leitura, sempre lemos muito lá em casa. A Sra. Paiéquemcria com seus livros espíritas, e eu, nerd convicto, com meus gibis, incentivamos a Srta. B desde pequena a leitura. Felizmente tivemos sucesso nessa empreitada. Ela adora ler. Seja Crepúsculo, Poderosa, Crônicas de Nárnia ou Turma da Mônica, ela consome o que pode.

A Srta. B sempre cresceu rodeada de livros e gibis. Mais gibis do que livros, é verdade. Eu, frequentador assíduo da prateleira de gibis das bancas da região, quando comprava os meus quadrinhos, levava um pra ela. Sempre fiz isso, com Mônica, Magali e até Disney quando era pequena. Hoje fica ansiosa pela nova edição da Turma da Mônica Jovem e (quem diria) Luluzinha.

Segunda começa a Semana Nacional da Leitura (12 a 16 de outubro). E a partir desse ano, o Dia das Crianças também é o Dia Nacional da Leitura. Me informaram que um em cada três adultos lembram de sua mãe lendo para eles quando crianças. E os pais? Aposto que nem aparecemos na estatística. Mas devemos apoiar a idéia, e cercar os pequenos de livros. Deixar sempre por perto, ao alcance das mãos, no banheiro, no quarto, cozinha!! Já é um começo.

Post inspirado por:
Roberta, mãe da Luísa, em Meu projetinho de vida: Criando o hábito da leitura

Letícia, mamãe da Laura, do Pelos Cotovelos e Cotovelinhos: Semana Nacional da Leitura – de 12 a 16 de outubro

Ivo, do Indesignação » Blog Archive » 50 anos da Turma da Mônica

Atualização 1: Doh! Fiquei enrolando pra escrever esse post e deixar um comentário para concorrer a um sorteio no Meu projetinho de vida, que perdi o prazo!! Acabou de sair o prêmio… Putz.

Atualização 2: Srta. B vai ganhar hoje Mônica nº 34, Cebolinha nº 34 e Mickey nº 804, com uma sátira do House M. D., o Dr. Mouse, com direito a bengala e o Pateta de Dr. Foraman.

——-

O Sr. Paiéquemcria Jovem tinha vergonha de ler gibis em público.

a notícia

Texto feito pela Srta. B

Quando eu era pequena, sempre quis e pedia um irmão ou uma irmã para meus pais e eles sempre diziam brincando: “Depois a gente passa no Carrefour, pois deve estar em oferta…” =P

E um dia eu estava em casa e eles me trouxeram uma sacola do Carrefour com um macacão de bebê dentro, na hora eu não me toquei, mas um tempinho depois é que caiu a ficha! Eu fiquei tão feliz e dei um grito de felicidade!! Todos ficamos felizes!!!

Mas alguns meses depois é que uma triste notícia chegou as nossas vidas o feto não havia sobrevivido e que após 3 meses a minha mãe poderia engravidar novamente.

Três meses depois do ocorrido, veio a feliz notícia: MINHA MÃE ESTAVA GRÁVIDA NOVAMENTE!

Meu pai só queria saber o sexo do bebê quando nascesse, mas minha mãe e eu conseguimos convencer o meu pai para saber o sexo do bebê, fomos para o consultório e a médica nos disse: “Não comprem nenhum tipo de boneca!”. Minha mãe ficou muito feliz com a notícia.

E agora 9 meses depois veio o Sr. D!

meu irmãozino!!