Arquivo

Posts Tagged ‘herbert vianna’

uma pequena explicação

Acho que devo uma explicação para quem chegou agora no blog, e me encontra algumas letras de músicas perdidas entre cada “post”.

Há um tempão atrás (janeiro de 2007), logo que criei o blog, expliquei aqui que “postaria” (neologismos: amo/odeio) músicas ou poesias que falassem de filhos, ou de nossa relação com eles.

Acabei criando uma pequena coleção de canções, mas tenho mais guardadas do que publicadas (isso! publicar é melhor que “postar”).

Já encontrei música do Herbert Vianna (Luca), Paula Toller (Oito Anos), Nando Reis (O Mundo é Bão, Sebastião), mas a única poesia que tenho é do Vinícius de Moraes, o Poema Enjoadinho. Quem já não falou (ou ouviu dos pais…) “Filhos, melhor não tê-los, mas se não os temos, como sabê-los?”

Well, quem tiver alguma sugestão para minha “coleção”, comente!

Anúncios

mais sobre luca

Fui atrás da “inspiração” de Herbert Vianna para a canção “Luca”, que postei aqui um dia desses. Gosto de saber o porquê das coisas, a inspiração. A única coisa que encontrei foi a informação de que esse é o nome de um de seus filhos. Não achei mais nada…

Na mesma semana, acompanhando o twitter do Maurício de Souza, vi uma foto dele com o Herbert Vianna, em um evento sobre deficientes físicos. “Tuitei” o Maurício (intimidade…) na hora, perguntando se o personagem da Turma da Mônica chamado Luca foi uma brincadeira/homenagem ao Herbert Vianna. Fiquei na expectativa, pois o Maurício responde a todos os seus seguidores.

E não é que ele me respondeu mesmo? Foi quase um autógrafo virtual! Bem legal saber que o cara fica atento a tudo que seus fãs/consumidores pensam e retorna com essa atenção. Se bem que eu acho que ele fica o dia inteiro no Twitter. Eu demoro um tempão pra responder meia dúzia de emails, imagina ele com trocentos seguidores mais a vida de empresário.

Enfim, sua resposta foi “@neliomatos – conincidencia (boa)” (http://twitter.com/mauriciodesousa/status/4065725968).

——-

O Sr. Paiéquemcria quase deu “print screen” do twitter…

beijos, colinhos e canções

Todo mundo tem uma música que lembra alguém, principalmente os casais.

Com a Sra. Paiéquemcria, tenho várias.

Música do primeiro beijo, do bilhetinho trocado na escola, dos tempos díficeis…

Eu tenho minha canção com a Srta. B. Pra falar a verdade, duas.

Ela era bem pequenininha, nem lembro a idade dela (uns 2 ou 3 anos, talvez), mas cabia no meu colo, e estava sentado em uma poltrona. Ela brigava com o sono, como toda criança pequena faz. Ouviamos “Meu Pé Meu Querido Pé”, CD do Hélio Ziskind. Quando chegou na 11º faixa, “Saquinho plástico“, ela começou a adormecer. E quando chegamos a faixa seguinte, “Marchinha da sereia“, ela já dormia profundamente. Srta. B tem a incrível habilidade de apagar de repente. Fecha os olhos e dorme, instantaneamente.

Naquele momento mágico muitas coisas passaram na minha cabeça. Não lembro de nenhuma, hehe, mas lembro de todos os detalhes daquele instante. Do sofá horroroso, da disposição do móveis na sala, da luz acesa, da trilha sonora, do amor incondicional que sentia. Disso eu lembro.

Guardei essa história pra mim por anos. Sei lá porque, mas só contei esses dias, depois de uma tentativa bem sucedida de acalmar o Sr. D tocando essas músicas no meu celular. A Sra. Paiéquemcria, depois de estranhar o que Hélio Ziskind fazia no meio de Velhas Virgens e afins, disse que ele reconheceu a música de quando eles ouviam durante sua gestação. O espaço que ficam essas músicas no meu disco rígido deve ter um buraco.

Beleza, o Sr. D também curtia a música, mas essa já tinha dona. Ainda não era a nossa música.

Indo a pé para o trabalho, ouvindo minhas músicas no modo aleatório, encontrei minha música com o Sr. D.

Com os olhos mareados (um cisco) e engolindo seco, fui trabalhar de coração leve.

——-

O Sr. Paiéquemcria tem um problema sério com cisco nos olhos.

luca

Abre os olhos pra ver o mundo
Tudo é novo para os teus olhos novos
Dá pra cada coisa um nome
Um nome novo e um sentido teu próprio
Eu te abro as cortinas da manhã
Eu te levo pros braços da tua mãe, cedo
Por um instante eu esqueço do que sou
Por um instante eu não lembro de ter medo
Fala as tuas palavras de vogais
E sorri quando já está dormindo
Filho, pai, mãe, orvalho da manhã
Tudo é novo para os meus olhos velhos
Eu te abro as cortinas da manhã
Eu te levo pros braços da tua mãe, cedo
Por um instante eu esqueço do que sou
Por um instante eu não lembro de ter medo
Abre os olhos pra ver o mundo
Tudo é novo para os teus olhos novos
Filho, pai, mãe, orvalho da manhã
Tudo é novo para os meus olhos velhos

Herbert Vianna (Herbert Vianna)
Disco: Santorini Blues

——-

O Sr. Paiéquemcria tem um segundo primeiro filho.