Início > pré-adolescência > pelinhos, suor e corrimentos…

pelinhos, suor e corrimentos…

Minha filha está virando mocinha…

Fui sutilmente a me retirar da sala da pediatra, para a médica examinar minha filha, que está com “pelinhos”…

Foi sutilmente mesmo, com uma piscadela e um sinal com o rosto, indicando a porta do consultório.

Sai, sem discutir ou pensar duas vezes. Era um momento delas (as mulheres – minha esposa estava lá dentro), onde um homem não tinha vez. Ou assunto.

Foi a primeira vez que isso aconteceu, acho que tanto pra mim quanto pra minha filha. Até agora nós éramos pai e filha, ela era uma criança, uma menina. Mas daqui pra frente ela passará a ser mulher, e desse universo eu estou fora. Sou homem, posso até saber o que acontece no mundo delas, mas entender, jamais.

Ontem foi marcante, tanto pelo fato dessa “exclusão”, do masculino e do feminino, quanto pelo fato de que minha filha está crescendo. Não só no tamanho (146,5 cm), mas no desenvolvimento.

Esses dias me toquei que tenho uma filha com idade para andar no banco da frente do carro. Na verdade faltam 3 meses, mas ela já me acompanha na frente, começou a mandar no rádio e já teve a primeira “briga” por lugar com a mãe..

Pelinhos, suor, corrimentos. Logo são espinhas, menstruação, peitinhos, ossos doloridos. Com isso virão, creminhos anti-espinhas, absorventes, sutiãs.

Anúncios
  1. 27/08/2009 às 15:57

    Oi! Adorei o post.
    Tenho três filhos: Dois “meninos” (14 e 11 anos) e a Júlia, de 7 anos. Eles crescem numa velocidade incrível e adorei sua idéia de registrar isso, sem expõ-los tanto.

    Um abraço, Cláudia

    • 06/09/2009 às 21:28

      Obrigado, Cláudia.
      Tenho medo da exposição, por isso a brincadeira com os nomes. E vou limitar alguns assuntos no blog, principalmente para não invadir a privacidade de minha pequena “aborrescente”…

  2. Luiz Henrique Matos
    30/01/2007 às 12:33

    Esse é meu irmão,

    Eu diria que você está quase dez anos atrasado nesses seus registros, mas lembro que há dez anos os blogs não existiam como são hoje.

    Como tudo muda rápido né? E mais que a internet, essa coisa fria pela qual nos comunicamos, mudam também essas crianças que crescem ali no sofá, no colégio, na rua e, quando vemos, opa, jão não são crianças!

    Néo, meu irmão, serei pai nesse mesmo ano. E imagino que experimentarei então, um pouquinho dos sentimentos que te fazem externar seu relacionamento com a Bia nesse espaço.

    Vida longa ao blog.

    Beijos,
    Rique

  3. Virginia
    23/01/2007 às 22:31

    Querido amigo

    Adorei a sua idéia de divulgar e eternizar o q um pai ´pode passar com sua filha, ainda mais quando está deixando de ser criança. Mas não se preocupe tanto, também é difícil para nós, mães.
    Um grande beijo no coração

    Virginia

  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: